4.12.12

Salada morna de alcachofras de Jerusalém

Alcachofras de Jerusalém

Dos confins da terra para o prato. Quem és tu? Enrugada e estranha, com nuances de rosa e castanho. Uma beleza alternativa. Chamam-lhe muitas coisas. Tupinambo. Alcachofra de Jerusalém. Quando um nome pode encerrar mil promessas e muito mistério. A que sabes tu? Entre uma alcachofra (daí o nome) e nozes torradas, com um toque de doce.

Salteadas na frigideira, em sopa ou cruas em salada. Fica a vontade que sejam, ao almoço, acompanhamento para umas almôndegas de perú, limão e tomilho e uns restos de couve. São elas a estrela do prato.

Alcachofras de Jerusalém

Decido fazer as primeiras alcachofras de Jerusalém do ano com bacon e alho e uns salpicos de salsa. Começa por ser só um acompanhamento. Demasiado como tal, sugiro como salada morna e refeição, talvez a par com rúcula ou agrião. Há-de ser para a próxima.

Assim elas apareçam de novo. Como o sol de Inverno.

Alcachofras de Jerusalém
Alcachofras de Jerusalém



Salada morna de alcachofras de Jerusalém
Adaptado ligeiramente de uma receita de Nigel Slater, Tender

serve 2, como refeição

450 g alcachofras de Jerusalém
1 colher (sopa) azeite
150 g bacon, cortado em cubos
1 dente de alho, picadinho
1 colher (sopa) sumo de limão
raspa de limão
1 colher (sopa) salsa picada

Raspe as alcachofras de Jerusalém com uma faca. Corte ao meio e coloque em água fria com sumo de limão. Coza as alcachofras ao vapor por 5-7 minutos.

Coloque o azeite e o bacon numa frigideira. Deixe cozinhar até obter cubinhos estaladiços. Junte o alho picado e as alcachofras. Tempere com sal e pimenta preta e raspa de limão. Cozinhe 2-3 minutos, até envolver todos os ingredientes.

Sirva polvilhado com salsa e uma rodela de limão.

nota: comprei as alcachofras de Jerusalém no supermercado Brio. Podem ser encontradas também no mercado biológico do Princípe Real, em Lisboa.

14 comentários:

  1. Suzana, esta salada morna teve o poder de me aquecer, neste dia que, nos Açores, está frio, cinzento e ventoso. Fotos lindas, como sempre.
    Um beijinho,
    Ilídia

    ResponderEliminar
  2. Que optimo aspecto, nunca provei mas tem todo o aspecto de ser uma coisa super apetitosa, obrigada pela partilha o bom dos blogs é isto mesmo.. a partilha! beijos

    ResponderEliminar
  3. Nunca provei nem nunca vi à venda e por isso mesmo a curiosidade é mais que muita :)
    O aspecto, aparentemente, é delicioso.
    Bj

    ResponderEliminar
  4. O que adoro nesta receita é que só de ler os ingredientes dá para perceber logo o seu sabor. :)

    Suzana faça este salteado da Heidi Swanson, é das melhores coisas que já comi. De sempre.

    http://www.101cookbooks.com/archives/sunchoke-and-cashew-stirfry-recipe.html

    ResponderEliminar
  5. Antes de ler onde e que te tinhas inspirado lembrei-me logo do Nigel. Que aspecto tao bom tem essa salada. E o tupinambo deixou-me com muita, muita curiosidade. Tenho de ver se encontro por ca.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. que bela proposta. Não conhecia esse ingrediente. Deve ser muito bom.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Para mim era da família do gengibre. Que engraçadas, nunca diria que são alcachofras. Há meio mundo culinário que ainda me é desconhecido. É bom ficar a conhecer, só falta provar :)

    ResponderEliminar
  8. Também julguei que era gengibre... ignorância!
    Beijo
    Babette

    ResponderEliminar
  9. Que bela receita. :D
    (e as imagens incríveis)

    ResponderEliminar
  10. Que lindas!!!! Desconhecia por completo. Sempre a aprender :)

    ResponderEliminar
  11. que lindas fotos :) nunca provei mas têm muito bom ar :) dá vontade de experimentar :) beijinhos

    ResponderEliminar
  12. São o que se chama o feio bonito! E ainda mais depois de as vermos no prato, onde parecem desenhar sorrisos de gula aqui deste lado. :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Provei tupinambo pela primeira vez em Copenhaga e adorei! Lembra-me a batata doce em termos de textura.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!